/* title to get the post title */ function getPageTitle() { global $wp_query; return get_post_title($wp_query->post->ID); } /* Add shortcode */ add_shortcode('page_title', 'getPageTitle');

A edição de 2020 do Prémio BPI “la Caixa” Seniores acaba de contemplar um novo projeto da Mutualista Covilhanense, denominado de “Vida + ao Domicílio”, anunciaram online os seus promotores, o Banco BPI e a Fundação La Caixa. É a terceira vez em cinco anos que a Associação arrecada esta distinção, atribuída anualmente a iniciativas de instituições privadas sem fins lucrativos que melhorem a qualidade de vida e o envelhecimento ativo de pessoas com idade superior a 65 anos.

Com este prémio, a Mutualista Covilhanense recebe trinta mil euros para serem utilizados na prestação de serviços domiciliários integrados na cidade da Covilhã, reforçando assim a sua atuação neste domínio, para mitigar os efeitos da pandemia e promover um envelhecimento mais autónomo e saudável. O projeto prevê uma equipa multidisciplinar e o recurso a tecnologia.

Esta que foi a oitava edição do Prémio BPI “la Caixa” Seniores contemplou 24 projetos a nível nacional, entre os quais o da Mutualista Covilhanense, tendo recebido 214 candidaturas que foram avaliadas por um júri tendo em conta os critérios de qualidade, sustentabilidade e relevância dos projetos.

A executar entre dezembro de 2020 a dezembro de 2021, o “Vida + ao Domicílio” inclui as iniciativas “Saúde ao Domicílio”, com serviços nas áreas da saúde em casa dos beneficiários, “Oficina de Atividades Itinerante – Envelhecer Mais ativo e participativo”, assente na área da animação sociocultural, “Serviços Psicológicos ao Domicílio, “Farmácia de Proximidade”, com acompanhamento farmacêutico, e “Tecnologia ao Domicilio”.

Numa primeira fase, os beneficiários diretos do projeto serão 150 seniores, dos quais grande parte utentes da Associação na resposta social de Serviço de Apoio Domiciliário, através do qual lhes são prestados já serviços como alimentação, higiene e tratamento da roupa.

“Este nosso novo desafio está vocacionado para ser um serviço de proximidade, chegar aos seniores que estão isolados nos domicílios e, através de uma equipa multidisciplinar, realizar avaliações para identificar as suas necessidades e estabelecer planos de intervenção”, destaca Nelson Silva, presidente da Associação. Ainda segundo este responsável, existe um objetivo claro que é “reforçar os serviços de apoio domiciliário existentes, com respostas eficazes nas áreas da fisioterapia, enfermagem, médica, animação, acompanhamento psicossocial e farmacêutico, promovendo a saúde, a qualidade de vida e o bem-estar dos idosos”.

Nelson Silva revela também que será associada aos cuidados domiciliários uma componente tecnológica, já que está previsto o funcionamento de um equipamento que permitirá a monitorização remota das condições ambientais das casas, como temperatura, humidade, gás, e de saúde, com foco em aspetos como a temperatura corporal, a frequência cardíaca ou a pressão arterial. Esta vertente tecnológica será concretizada em parceria com o NetGNA – Next Generation Networks & Application, grupo de investigação do Departamento de Informática da Universidade da Beira Interior (UBI). “Queremos resolver problemas de isolamento social e fomentar uma maior capacitação física, mental e emocional dos utentes, por meio de respostas inovadoras”, finaliza Nelson Silva.

A primeira vez que a Mutualista Covilhanense foi distinguida com este prémio foi na edição de 2016, com o projeto da Unidade Móvel de Saúde. Em 2018, a Associação voltou a ter um projeto aprovado: “Idosos e Jovens num clique”, destinado a combater a infoexclusão e o isolamento, o que lhe possibilitou criar uma sala de informática e de multimédia nas suas instalações, adaptada a seniores.

Share This