/* title to get the post title */ function getPageTitle() { global $wp_query; return get_post_title($wp_query->post->ID); } /* Add shortcode */ add_shortcode('page_title', 'getPageTitle');

A Mutualista Covilhanense recebeu, numa cerimónia que decorreu no dia 29 de novembro, o galardão do Prémio Caixa Social 2021, atribuído pela Caixa Geral de Depósitos ao seu projeto “Cuidados de Proximidade Saúde +”. Através desta distinção, a Associação reforçou os serviços prestados nas aldeias do concelho da Covilhã servidas pela Unidade Móvel de Saúde e de Apoio Psicológico e Social e criou o Gabinete Itinerante de Prevenção e Combate à Covid-19.

A distinção da Caixa Geral de Depósitos foi anunciada em junho do ano passado, mas a cerimónia de entrega de prémios não foi realizada na altura, em virtude da situação pandémica. O evento de ontem aconteceu no Pequeno-Auditório da Fundação Caixa Geral de Depósitos – Culturgest.  

A edição deste ano dos Prémios Caixa Social foi antecipada para 2020, excecionalmente, com o objetivo de apoiar as entidades do setor social no combate, controlo, prevenção e resposta aos efeitos da pandemia, tendo premiado um total de 34 instituições, entre mais de 400 candidaturas recebidas. O júri, independente, foi constituído por Maria José Ritta, Filipe Santos, Eduardo Graça, Viriato Soromenho Marques e Pedro Pita Barros e presidido por Rui Vilar, presidente do Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos. Na cerimónia esteve presente, para além de membros do júri e outras personalidades, o presidente da Comissão Executiva da entidade bancária, Paulo Macedo.

“É uma honra para a Mutualista Covilhanense integrar este grupo de 34 premiados, numa edição tão especial como foi esta, em virtude do contexto pandémico, tão desafiante para as instituições sociais”, salienta Nelson Silva. O dirigente destaca ainda que “este foi um prémio importante para ajudar a Associação a proteger e apoiar os mais vulneráveis neste momento excecional que vivemos”.

A Mutualista Covilhanense recebeu um prémio pecuniário de 18 mil euros para executar o projeto. Para além do Gabinete Itinerante de Prevenção e Combate à Covid-19, com aconselhamento e transmissão de informação relevante nas freguesias rurais, acoplado ao serviço da Unidade Móvel de Saúde, o projeto inclui a aposta numa tecnologia capaz de monitorizar à distância, a partir de casa de seniores, vários parâmetros de saúde, como a temperatura ou a frequência cardíaca, e o próprio ambiente domiciliário (temperatura, gás, etc). Esta nova tecnologia, designada de Home Intelligence Assistent, resulta de uma parceria com um grupo de investigação do Departamento de Informática da Universidade da Beira Interior (UBI), o NetGNA – NetGNA – Next Generation Networks Apllications, que já a desenvolveu. O Home Intelligence Assistent vai avançar agora para uma experiência-piloto na casa de um sénior. O objetivo desta tecnologia é melhorar a segurança e bem-estar da população sénior, sobretudo a que vive sozinha e isolada.

Share This